O que você sabe sobre o Coronavírus?

COVID-19

06/3/2020
O que você sabe sobre o Coronavírus?

    O assunto da vez é sobre um dos membros da família de vírus Coronavírus, que são responsáveis por infecções respiratórias. Atualmente, o vírus, que foi denominado como COVID-19, é uma das principais preocupações mundiais pelo fato de ter se espalhado rapidamente por boa parte dos continentes do planeta.

    Os primeiros casos de pessoas infectadas por essa doença surgiu na China, no começo de dezembro. Foi somente no final desse mesmo mês que o país espalhou a notícia de uma misteriosa pneumonia na cidade de Wuhan.

    O novo coronavírus foi batizado oficialmente como COVID-19 pelo Comitê Internacional de Taxonomia de Vírus (ICTV no inglês). E se você está achando que escolher um nome para uma doença é uma coisa fácil, pode acreditar, não é. Muitos problemas podem ser causados simplesmente pela escolha do nome, um exemplo disso é o H1N1, que recebeu o apelido “gripe suína”, isso resultou no abate de porcos no Egito em 2015. Podemos perceber com atitudes como essa  que os nomes despertam certas reações nas pessoas, por isso, a escolha deve ser totalmente pensada e analisada.

    Para evitar esses e outros possíveis problemas, a Organização Mundial de Saúde decretou que o novo nome não poderia conter nome de animais, pessoas, alimentos, localização geográfica ou ter referência à uma cultura.

    Se você está querendo saber mais sobre esse novo vírus, continue lendo o artigo!

 

O que é?

    

    O COVID-19, como já foi falado, é um vírus pertencente à família Coronavírus (que por curiosidade, eles receberam esse nome por causa da sua aparência vista pelo microscópio, que tinha semelhança com uma coroa).

    O Coronavírus teve seu aparecimento na história por volta do ano de 1937, em casos isolados onde a doença foi contraída por humanos. Mas foi somente da década de 60 que foi reconhecido como Coronavírus.

    Há um grande debate sobre o reaparecimento da doença nos dias atuais. Alguns cientistas acreditam que ela teve sua origem em animais selvagens e que se espalhou para os seres humanos.

 

Quais são os sintomas?

    

    Os sintomas do COVID-19 se assemelham aos sintomas de resfriados e gripes comuns, como tosse, coriza, febre e dificuldade para respirar. Mas além desses, esse vírus pode apresentar infecções nos pulmões.

    Como essa doença apareceu recentemente no mundo, ainda não há todas as informações sobre ela, mas cientistas continuam investigando sobre suas causas, sua origem, seus sintomas e o tratamento.

 

Como o Coronavírus é transmitido?

    

    Existem vírus que são altamente contagiosos que não possuem dificuldade em passar de pessoa para pessoa, mas o COVID-19 ainda não foi estudado o suficiente para dizer com precisão qual é a facilidade dele em se espalhar. Por isso é importante realizar ações de prevenção, como a higienização e evitar o contato próximo com pessoas que estejam doentes ou que apresentem sintomas da doença.

    Os meios pelos quais o novo coronavírus pode ser transmitido são:

   -Por meio das gotículas de saliva;

   -Pela tosse;

   -Pelo catarro;

   -Ter contato físico com pessoas que estejam doentes;

   -Contato com objetos contaminados pelas pessoas que portam o vírus;

   -Ou consumo carnes de animais não domesticados.

    No início do ano, as notícias que circulavam sobre o consumo de sopa de morcegos como propagadora do vírus já foi negada pelos cientistas, mas isso não quer dizer que os morcegos não tenham nenhuma relação com o coronavírus. Esse animal foi responsável por transportar os vírus Sars e Mers, que são da mesma família do COVID-19, a família coronavírus. A explicação mais utilizada é que esses mamíferos voadores tenham contaminado um animal selvagem, e ele por sua vez tenha contaminado os humanos, transmitindo e espalhando o vírus.

 

Período de incubação

    

    O novo coronavírus tem um tempo de incubação de 1 a 14 dias. Essa incubação é uma variável de doença para doença, e pode ser definida como o período da exposição ao vírus até o aparecimento dos sintomas. Ou seja, é o intervalo entre o primeiro contato que uma pessoa tem com o vírus COVID-19 até o momento em que o primeiro sintoma se manifesta.

    Pessoas que  tenham viajado nos últimos dias, devem ficar atentas quanto à sua saúde, pois os sintomas do novo coronavírus podem começar a aparecer somente a partir do décimo quarto dia, e em alguns casos pode ser que nem venham a aparecer.

 

Prevenção diária

    

    Essa doença tem causado bastante preocupação e medo nas pessoas, mas a sua taxa de mortalidade é menor do que as outras vertentes do Coronavírus, como a SARS e MERS. Os índices de mortes causadas pelo COVID-19 é de, aproximadamente, 3,5%, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS).

    As pessoas que estão mais expostas ao risco de falência são pessoas acima de 60 anos e/ou que tenham doenças como a hipertensão, diabetes e problemas cardiovasculares.

    Muitas pessoas começaram a buscar formas de se proteger da doença, e uma delas foi a utilização de máscaras, mas especialistas dizem que não há evidências de que elas podem proteger contra o COVID-19. É recomendado que somente quem está com a doença utilize-as.

    Se você quer dicas de prevenção, aqui vai uma lista com ações que você pode adotar para se proteger. Lembre-se, cuidar da saúde é sempre bom e nunca é demais!

  • Higienize as mãos com frequência, lavando-as com água e sabão;
  • Aposte no álcool em gel;
  • Evite tocar olhos, boca e nariz sem estar com as mãos higienizadas;
  • Evite ficar em contato com pessoas que estejam com o vírus;
  • Use lenços descartáveis ou a dobra do cotovelo quando for espirrar ou tossir;
  • Desinfete objetos e superfícies que tiveram contato com alguém que contraiu a doença;
  • Mantenha hábitos saudáveis: hidrate-se, se alimente bem e realize atividade física;
  • Não compartilhe objetos pessoais;
  • Evite viajar para lugares com um alto índice da circulação do vírus;
  • Cuide da sua imunidade;

    Caso você esteja com o COVID-19 ou apenas apresente os sintomas, evite contato com as pessoas e lugares com aglomeração.

 

Meios de prevenção no trabalho

    

    O ambiente de trabalho é um lugar onde várias pessoas se reúnem, trocam conversas, compartilham equipamentos e cumprimentos. Como o COVID-19 é transmitido pelo ar, é importante ter um hábito de prevenção para garantir sua saúde.

    Além de seguir a lista de cima, você pode acrescentar:

  • Manter o ambiente ventilado;
  • Informe seu chefe caso esteja com suspeitas de COVID-19;
  • Se você fez uma viagem para os países afetados, mantenha uma distância de no mínimo 2 metros do resto do pessoal ou trabalhe em uma área isolada;
  • Limpar superfícies e objetos que são frequentemente tocados;
  • Descartar os lixos com cuidado;
  • Em caso de ter que viajar, se informe sobre o avanço da doença no local;

 

Países monitorados pelo Ministério da Saúde

    

    Até essa terça-feira (3), um levantamento feito pelo Ministério da Saúde mostra que 72 países foram atingidos pelo novo coronavírus. O Ministério da Saúde que até então monitorava 16 países, ampliou esse número para 27, são eles:

  • Alemanha;
  • Austrália;
  • Canadá;
  • China;
  • Coreia do Norte;
  • Coreia do Sul;
  • Croácia;
  • Dinamarca;
  • Emirados Árabes Unidos;
  • Espanha;
  • Estados Unidos;
  • Finlândia;
  • França;
  • Grécia;
  • Holanda;
  • Indonésia;
  • Irã;
  • Itália;
  • Japão;
  • Malásia;
  • Noruega;
  • Reino Unido;
  • San Marino;
  • Singapura;
  • Suíça;
  • Tailândia;
  • Vietnã;

    Dia 26 de fevereiro foi comprovado um caso do novo coronavírus no Brasil, no estado de São Paulo. O homem de 61 anos contraiu a doença em uma viagem para a Itália e no dia 23 de fevereiro é que começou a apresentar os sintomas. A Itália é o país Europeu que foi mais atingido pelo COVID-19, com cerca de 2.263 infectados (informações do dia 4 de março).

    Nesta quarta-feira (5), foi confirmado o quarto caso do novo coronavírus em território nacional. Esses casos foram identificados no estado de São Paulo, na região Sudeste do país. 3 das pessoas contaminadas são homens com idades entre 32-61 anos, e a outra foi uma garota de 13 anos.

    Nesta sexta-feira (6), o Brasil mais 4 casos foram confirmados, totalizando 8 casos até o momento.

 

COVID-19 na internet

    

    Se você está atento aos acontecimentos nas redes sociais, sites de notícias e jornais, já deve ter ouvido falar das famosas fake news. Bem esse termo se refere a notícias falsas que circulam na internet. Elas podem ser tanto para conseguir mais acessos nos sites, como para espalhar boatos por meio de mentiras sobre os mais variados assuntos.

    E nem as notícias sobre a saúde e segurança são capazes de escapar dessa nova febre de fake news. Por isso é muito importante tomar cuidado ao espalhar uma notícia que você tenha lido na internet, garanta que o site onde a notícia foi publicada é confiável e que a informação é encontrada em outros sites (também seguros).

    Você pode abrir a internet agora mesmo e se deparar com diversas notícias falsas sobre o COVID-19. Uma boa porcentagem do preconceito com o qual a China está sofrendo atualmente, é devido ao grande número de notícias falsas sobre o novo vírus que começou a se espalhar pelo mundo.

    As principais notícias falsas que estão sendo compartilhadas na internet como verdadeiras sobre o novo coronavírus são:

-Vinagre ajuda na prevenção contra a doença;

-O COVID-19 possui cura;

-China cancelou embarque de navios até março;

-Álcool em gel não ajuda a prevenir o vírus;

-Chás ajudam a combater o vírus;

-Beber líquidos quentes mata o vírus;

-Médicos tailandeses curam coronavírus em 48 horas;

-Novo coronavírus causa pneumonia de imediato;

-Óleos combatem o coronavírus;

-Uísque e mel contra o coronavírus;

    As informações sobre o COVID-19 mudam constantemente a cada dia que passa, principalmente a porcentagem de pessoas infectadas. Então, se você quer ficar atualizado sobre esse novo coronavírus, mantenha-se atento à jornais, notícias e documentários, mas lembre-se de conferir se o site é confiável para não espalhar notícias falsas por aí!

    

Como o COVID-19 ataca?

 

    O vírus entra pelas vias aéreas e ataca o pulmão, causando graves infecções. Ele se multiplica e destrói as células pulmonares saudáveis. Isso pode causar complicações, comprometendo o tecido pulmonar e podendo ocasionar em uma pneumonia.

    Um dos principais sintomas do novo coronavírus é a falta de ar. A dificuldade em respirar pode trazer vários problemas aos nossos órgãos, pois eles precisam de oxigênio para funcionar corretamente, podendo até ocasionar no seu ‘desligamento’.

    A Organização Mundial da Saúde (OMS) relatou que a falência de múltiplos órgãos parece ser a maioria das mortes causadas pelo COVID-19.

    

Como é feito o tratamento?

 

    Ainda não há uma maneira específica e totalmente eficaz de combater a infecção de coronavírus. O tratamento serve apenas para aliviar os sintomas da doença e se assemelha ao tratamento de uma gripe comum: repouso e bastante água.

    Além disso, pode ser também recomendado algumas medidas para ajudar caso a pessoa esteja com dores e febres, que é o uso de medicamentos, e para aliviar a tosse e dor de garganta, que é o uso de umidificadores de ar e banhos quentes.

    Mas a doença é mais tratada pelo sistema imunológico  do que por meio de medicamentos. Um dos motivos é que ainda não existe um medicamento comprovado cientificamente que possa curar os infectados do COVID-19.

    É importante lembrar que caso você apresente algum sintoma da doença, vá diretamente ao médico para avaliar o seu caso e descobrir se você possui ou não a doença. Faça isso, principalmente, caso tenha feito uma viagem nos últimos 14 dias (que é o tempo de incubação do vírus).

    Uma das formas que a China adotou para ajudar os pacientes a se recuperarem foi a utilização do plasma sanguíneo de pessoas que se recuperaram. Esse método é a solução utilizada pelos médicos enquanto os farmacêuticos e cientistas ainda não conseguem desenvolver um tratamento e uma vacina para tratar e prevenir a doença.

 

 

 

    Devemos lembrar de adotar as práticas de prevenção no dia a dia para lutar contra o novo coronavírus. Caso tenha ficado com alguma dúvida, use esse espaço aqui embaixo para que possamos ajudar você a esclarecê-la. Você sabia sobre esse novo vírus que se espalhou pelo mundo? E o qual fim você acha que vai levar essa história? Nos siga nas redes sociais para se manter atualizado nos assuntos sobre saúde e segurança! Até o próximo artigo!
 


Compartilhe nas redes sociais: